Nostalgia Toscana

  • Destino: ,
  • Duração: 6 dias
  • De: 29/12/2017
  • a: 03/01/2018
  • Preço: 3,990€

tryart

Tryvel
Uma viagem de fusão que concilia a riqueza dos conhecimentos transmitidos pela jornalista e crítica de vinhos Maria João de Almeida, de João Paulo Oliveira e Costa, historiador especializado na época do Renascimento, e do sommelier italiano, Fabio Ceccarelli. Um esplendoroso regresso à época do “Quattrocento” Florentino e à magnífica história e influência dos Médici… mercadores, banqueiros e Papas. Um misto de monumentalidade, glamour, história e a origem e beleza dos vinhedos e do vinho Chianti.
Com Maria João de Almeida e João Paulo Oliveira e Costa
A vitivinicultura é uma atividade secular na Toscânia, região conhecida pelos seus jovens vinhos tintos, representados principalmente pelo Chianti e por um vinho de primeira grandeza no panorama mundial, o Brunello de Montalcino.

A Sangiovese é o esteio da produção regional e está muito presente nos vinhos finos. É a única uva admitida na produção do Brunello di Montalcino e Rosso di Montalcino, sendo a base da produção dos vinhos Chianti, Montepulciano, e na maioria dos vinhos toscanos superiores mais modernos, os Super Toscanos. Quando utilizada em monocasta, é necessário um grande esforço para produzir um vinho de sabor apurado e consistente. Por esta razão é geralmente misturada com outras castas, principalmente com Cabernet Sauvignon. Existem ainda outras uvas tintas utilizadas na produção de vinho como a Canaiolo, a Prugnolo Gentile, a Brunello (que brilha em Montalcino), a Pollera Nera e a Morelino di Scansano. Nas brancas, dão cartas a Malvasia do Chianti, Malvasia di Candia, Trebbiano, Vermentino di Luni e Ansonica. Em ambos os casos, é usual o blend com castas internacionais.

Com Fabio Ceccarelli
A Toscânia marca o início da área central da Itália, fazendo fronteira ao norte com a Emilia-Romagna, a noroeste com a Ligúria e ao leste com Marche e Umbria. O limite ao sul é Lazio (região de Roma), sendo o seu limite a oeste o mar Tirreno. A paisagem é dominada por suaves colinas e o restante território já mais acidentado, na subida dos montes Apeninos a leste.

Apesar de enfrentar mudanças climatéricas sazonais, o vinho da Toscânia reage com definição e personalidade, mantendo a sua forte vocação para tintos. No centro da Toscânia, especialmente em Chianti, a casta Sangiovese assume cada vez mais o papel de protagonista e muitas vezes também em monocasta (a tradição é a de misturá-la com outras variedades). Existe uma forte vontade entre os produtores de aumentar a Sangiovese nas diferentes identidades territoriais, sendo que de ano para ano vai assumindo diferentes comportamentos, mas sempre o mesmo caráter.

Preço por Pessoa em Quarto Duplo

3990 €

Suplemento Quarto Individual

960 €

Programa inclui:

  • Passagem aérea em classe económica para percurso Lisboa/Bolonha e Bolonha/Lisboa em voos TAP com direito a 1 peça de bagagem com 23 kg;
  • Taxas de aeroporto, segurança e combustível no montante de 35,00 € (à data de 11/09/2017 – a reconfirmar e atualizar na altura da emissão da documentação);
  • Acompanhamento da jornalista e crítica de vinhos Maria João de Almeida e de Fabio Ceccarelli (sommelier italiano);
  • Acompanhamento por um responsável da Tryvel durante toda a viagem;
  • Visita guiada de Florença e Siena com o historiador João Paulo Oliveira e Costa;
  • 4 noites de alojamento em hotéis de 4 estrelas (2 noites em Florença) e 5 estrelas (Hotel Castello del Nero);
  • Pensão Completa incluindo bebidas alcoólicas e não alcoólicas;
  • Reveillon no Hotel Castello del Nero 5 estrelas;
  • Transporte como indicado no programa;
  • Todas as visitas mencionadas no itinerário;
  • Todos os impostos aplicáveis;
  • Seguro Multiviagens.

Programa não inclui:

  • Gratificações;
  • Tudo o que não esteja como incluído de forma expressa;
  • Despesas de caráter particular designadas como extras.
  • Nota Importante: A presente cotação está sujeita a reconfirmação mediante
    as disponibilidades do hotel à data da vossa reserva. Os valores acima apresentados poderão sofrer eventuais alterações.

1º Dia – Lisboa / Bolonha / Florença
11h20 – Chegada ao Aeroporto de Bolonha no voo TP 872 vindo de Lisboa. Transfer em autocarro para Florença. Almoço em Florença no Restaurante Taverna del Bronzino. De tarde, visita guiada pedestre à cidade de Florença com o historiador João Paulo Oliveira e Costa. Check in no Hotel Tornabuoni Beacci 4*. Jantar no restaurante do hotel. Alojamento.
2º Dia – Florença / Pontassieve / Santa Brigida / Florença
Visita guiada à FATTORIA LAVACCHIO com a presença de Fabio Ceccarelli (sommelier italiano), incluindo visita à adega, prova de vinho e Almoço. A seguir à refeição, visita à azienda vinícola TENUTA DEL TREBBIO incluindo visita à adega e prova de vinho. Os vinhos de Castello del Trebbio são a manifestação de duas almas: uma continuação da grande tradição, por um lado, e o novo potencial desse território, por outro. Juntamente com os tradicionais vinhos Sangiovese, como o Chianti DOCG, e a Chianti Rufina Riserva “Lastricato”, a TENUTA DEL TREBBIO produz outra linha de vinhos sob o rótulo “Vigneti Trebbio”. Estes conceitos modernos são criados a partir de variedades de uvas novas para a região. Com grande cuidado e manipulação profissional nas vinhas e caves, estas novas variedades encontraram uma nova terra escolhida na Chianti Rufina. Jantar em Florença no Restaurante Sabatini. Alojamento.
3º Dia – Florença / Val d'Elsa / Tavarnelle Val di Pesa
Partida de autocarro para a Região de Chianti. Visita à adega e prova de vinhos seguido de almoço na FATTORIA CASA EMMA. A Casa Emma prova que tudo no coração da região do Chianti está vinculado por um fio muitas vezes invisível com milénios de história, dos quais muito pouco se perdeu ao longo dos séculos. A família Bucalossi comprou a propriedade de uma nobre florentina, Emma Bizzarri, cujo nome foi usado para o título da propriedade, como um sinal de respeito pelas raízes históricas ligadas à terra. Ao longo dos séculos, as famílias nobres que possuíam grandes vinhedos e fazendas na região de Chianti muitas vezes mantinham vínculos emocionais tão profundos com suas propriedades que geração após a geração de suas famílias, escolheria permanecer em suas propriedades e passar os seus dias caminhando entre suas infinitas filas de videiras amadas, em vez de se envolverem em conversas fúteis nos elegantes salões da cidade. Os velhos métodos de cultivo de videiras e parcerias desapareceram, dando lugar a linhas geometricamente precisas. Uma mudança igualmente brusca também ocorreu nas fazendas, que anteriormente pertenciam a trabalhadores agrícolas como parte do sistema de parceria. As fazendas, tendo perdido seu papel como residências rurais, tornaram-se agriturismi (fazendas que oferecem férias rurais) ou casas novas para italianos e estrangeiros que desejam trocar a vida urbana caótica por uma das mais belas paisagens da Itália. Os ingleses, alemães, suíços e holandeses compraram casas pitorescas nas encostas, renovaram-nas e decoraram-nas com bom gosto, e depois aqui se estabeleceram, dando origem ao epíteto brincalhão de “Chiantishire”, usado para descrever uma área onde os residentes estrangeiros se tornaram a maioria. A maioria deles são “aristocratas do espírito”, muitas vezes intelectuais e artistas, que se muniam de prazer e inspiração para poder convidar amigos e parentes para ficar, e de uma noite de verão saborear um copo de vinho enquanto contemplam o sol sobre uma paisagem que ainda está em escala humana. Check in no Hotel Castello del Nero 5*. O Castello del Nero encontra as suas origens no século XII, quando se tornou a residência rural da nobre família florentina Del Nero. Familiares proeminentes incluíam Francesco Del Nero, protetor de Maquiavel, e Filippo Neri, santificado no século XVII. Em 1825, a propriedade passou por via de casamento para a família Torrigiani, grandes proprietários da Toscânia. Ao longo do século XIX, o marquês Carlo Torrigiani deu início a um programa de modernização, muito inspirado pela sua esposa americana, Anna Fry. Esse acontecimento criou um vínculo natural com a terceira família para possuir e cuidar do castelo, liderado por Robert Trotta. Neto de quatro italianos, cresceu em Long Island, mas os seus fortes laços familiares com os pais e os verões que viveram na Toscânia, encheram-no de alegria nostálgica. Foi com grande prazer que tomou posse deste magnífico castelo: “Eu queria que fosse uma autêntica experiência toscana, que combinasse com minha visão de um hotel de luxo de classe mundial”. Trabalhando com a Comissão Italiana de Belas Artes, o castelo do século XII foi transformado, garantindo a preservação de detalhes históricos, cada um testemunho de vidas passadas. Em 2016 celebrou-se o 10º aniversário de Castello del Nero como hotel de luxo histórico e autêntico da Toscânia e um dos The Leading Hotels of the World. Festa de Celebração do Ano Novo em Castello del Nero. Alojamento.
4º Dia – Tavarnelle Val di Pesa / San Gimignano / Siena / Tavarnelle Val di Pesa
Manhã livre. Almoço na FATTORIA POGGIO ALLORO (incluindo 5 vinhos: Vernaccia di San Gimignano DOCG, Vernaccia di San Gimignano DOCG “Le Mandorle “, Chianti DOCG e San Gimignano Rosso DOC “ Convivio” e Cabernet (o Merlot). O nome Poggio Alloro refere-se aos arbustos de louro que crescem em toda a propriedade. Está situado a apenas 5 km de San Gimignano, rodeado por colinas e campos exuberantes. As torres de San Gimignano no horizonte completam esta imagem extraordinária. A fazenda ainda é uma empresa familiar, na qual pais e crianças trabalham todos os dias, lado a lado. No momento, a fazenda é composta por cem hectares e é completamente orgânica. Em vinte e quatro hectares cultivamos variedades de uvas, como a vernaccia di San Gimignano (uma uva local que cresce apenas nesta cidade), sangiovese (para produzir o famoso vinho Chianti), caneio-lho, colorino, malvasia e trebbiano (para o vinho doce tradicional de Vinsanto). Numa pequena porção de terreno, também se cultivam variedades de chardonnay, cabernet e merlot. À tarde visita guiada aos monumentos mais interessantes da Região de Chianti: San Gimignano e Siena com o historiador João Paulo Oliveira e Costa. Ao fim da tarde chegada à Osteria di Passignano, situada em Tavarnelle Val di Pesa. Visita à pequena adega e jantar. Alojamento no Hotel Castello del Nero.
5º Dia – Tavarnelle Val di Pesa / Suvereto / Castagneto Carducci / Tavarnelle Val di Pesa
Manhã com a presença de Fabio Ceccarelli (sommelier italiano) para visitar a azienda vinícola PETRA, incluindo visita à adega, prova de vinho e almoço. Perto da antiga vila de Suvereto, nas colinas ferrosas do Val di Cornia, onde se pode avistar o mar Tirreno, a magia de Petra é continuamente acariciada por ventos que reavivam lembranças emancipais e enológicas que remontam aos gregos e etruscos. Algo tão moderno e funcional é, ao mesmo tempo, uma tradição profundamente enraizada que se perde entre as linhas de uma história. São os estratos subjacentes – da terra, dos homens, de seu conto ininterrupto – que Petra revela. A empresa moderna, brilhante e funcional, torna-se a terra, deixando-se em suas mãos e, deixando-se erguer e revitalizá-la, um paraíso perdido reviveu, uma alusão e uma referência a algo mais profundo do que a própria terra. A seguir ao almoço, visita à azienda vinícola MICHELLE SATTA, incluindo visita à adega e prova de vinho. A chegada de Michelle Satta a Castagneto Carducci é uma “coincidência”. Veio de Varese, e estava de férias com o seu pai, engenheiro, com apelido e cromossomas da Sardenha, e a sua mãe, uma professora, quando recebeu uma oferta de emprego do proprietário de uma azienda local. Acabava de se matricular na Universidade de Agronomia de Milão (formou-se quatro anos depois em Pisa) e imediatamente, durante o seu primeiro estágio em outubro de 74, começou com a colheita! O seu trabalho era tratar da limpeza das instalações, atendendo às mais humildes tarefas, observando, estudando e trabalhando. Em cada vinhedo estão as vinhas que Michele sentiu, após anos de observação, para serem as mais representativas de Bolgheri. Para os brancos apresentam-se as castas Viognier, Vermentino e Sauvignon, enquanto para os tintos surgem Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah, Sangiovese e Teroldego. A presença de monocastas nas diferentes vinhas, permite ter numerosas expressões de variedades, para que se possa entender como os vinhedos se comportam todos os anos. As vinhas que expressam maior equilíbrio e complexidade fornecerão as uvas para os vinhos mais importantes. Isso permite entender quais são as caraterísticas que tornam uma vinha, melhor do que as outras, permitindo ao longo do tempo ter alguma ideia das caraterísticas dos vinhedos. Jantar e alojamento no Hotel Castello del Nero.
6º Dia – Tavarnelle Val di Pesa / Bolonha / Lisboa
Manhã livre no hotel.
12h00 – Almoço buffet no Hotel Castello del Nero.
14h00 – Transfer em autocarro para o Aeroporto de Bolonha.
17h40 – Partida do voo TP 873 para Lisboa.
programa_toscania