Estrada Nacional 222

A Estrada que Liga Portugal de Oeste a Este

A Estrada Nacional 222 tem 226km de extensão atravessando Portugal de oeste a leste quase sempre o rio acompanhando o rio Douro. A EN222 liga a cidade costeira de Vila Nova de Gaia à vila de Almendra, no concelho de Vila Nova de Foz Côa, situada a dois passos da nossa vizinha Espanha. Pelo caminho é-se brindado com algumas das paisagens mais arrebatadoras de Portugal, das quais se destacam os fotogénicos e mundialmente famosos socalcos do Douro Vinhateiro. Já foi eleita a estrada mais bonita do mundo. 

É possível percorrer a EN222 durante todo o ano, mas é inegável que a época das vindimas (setembro e outubro) é a altura do ano de eleição para percorrer a Estrada Nacional 222 pelas maravilhosas cores outonais, que pintam o vale do Douro de inúmeros tons de amarelo, laranja e vermelho.

Mas se o Outono é rei no Vale do Douro e na Estrada Nacional 222, a Primavera é rainha. Ver as vinhas após o abrolhamento dos rebentos, a cobrir de verde as empinadas encostas durienses, é um cenário igualmente brutal. E na zona de Foz Côa tem ainda o (enorme) brinde que é ver as amendoeiras em flor.

Em Quarto Duplo ou Twin

(mínimo de 20 participantes)

1.100 €

Suplemento para Ocupação Individual

240 €

 

Programa inclui:

  • Acompanhamento Tryvel durante toda a viagem por guia intérprete oficial de turismo;
  • Circuito em autocarro de turismo;
  • 05 noites nos hotéis de 4**** e 5 ***** mencionados no programa ou similares;
  • Todas as entradas e visitas conforme programa;
  • 11 Refeições (6 almoços em restaurantes + 5 jantares nos hotéis);
  • Bebidas às refeições (limitadas – água, vinho ou cerveja e café);
  • Seguro de assistência em viagem;
  • Taxas hoteleiras, de serviço e Iva;
  • Kit de viagem Covid-19;
  • Audio-guias.

 

Programa não inclui:

  • Tudo o que não esteja como incluído de forma expressa;
  • Quaisquer outras bebidas durante os jantares nos hotéis, com exceção de água e café;
  • Despesas de carácter particular designados como extras.

 

Desistências:

Temos um prazo inicial dos fornecedores, sem qualquer penalização, até 13 Agosto. Caso até essa data sobrevenha razão objetiva, designadamente aumento dos riscos de Covid 19, negociaremos datas mais alargadas, sem custos, e com reembolso integral (*) dos valores adiantados.

(*) O Seguro de Assistência em Viagem no montante de 25 € não é reembolsável.

 

INFORMAÇÕES | RESERVAS
CS – Tlm. 91094989 | GC – Tlm. 938458843 | info@nulltryvel.pt

1º Dia - Lisboa / Porto

Comparência em Sete Rios (junto à entrada principal do Jardim Zoológico) para saída em direção a Gaia.

Chegada ao Miradouro da Serra do Pilar e vista panorâmica do Porto com visita ao Mosteiro dos sécs. XVI e XVII da Ordem de Santo Agostinho.  É hoje considerado um dos mais notáveis edifícios da arquitetura clássica europeia devido ao seu excecional valor arquitetónico e ao caráter singular da sua igreja e do seu claustro, ambos circulares e da mesma dimensão em planta. Em 1996 o Mosteiro da Serra do Pilar passou a estar classificado, juntamente com o Centro Histórico do Porto, como Património Mundial da Unesco, encontrando-se, por inerência, classificado como Monumento Nacional.

Continuação para Matosinhos para almoçar um belo peixinho no Restaurante O Xarroco.

Após a visita, travessia do Rio Douro para o centro do Porto onde faremos um passeio a pé desde a Igreja dos Clérigos, Avenida dos Aliados, Estação de S. Bento, Rua das Flores e Mercado Ferreira Borges até à Ribeira.

Check in no Hotel Porto Fénix 4****. Jantar e alojamento no Hotel.

2º Dia - Porto / Vila Nova de Gaia / Gondarém / Midões / Miradouro de Catapeixe / Ilha dos Amores / Castelo de Paiva / Cascata da Ribeira de Sampaio / Cinfães / Miradouro de Teixeirô / Porto Antigo

Após o pequeno almoço, saída  por Vila Nova de Gaia para Gondarém pela Estrada Nacional 222 (N222)

A primeira paragem é nas aldeias de Gondarém e Midões, já no concelho de Castelo de Paiva. São de xisto e irmanadas a vários níveis. Próximas na distância, nos usos e costumes e nas paisagens sublimes das encostas e do vale do rio Douro. Estes lugarejos têm aquele encanto rústico e pitoresco das casas antigas (de xisto e granito, algumas com paredes de taipa), das quelhas e ruelas empedradas.

Visita a Midões e Gondarém onde se podem ver os Canastros (ou espigueiros) e a castiça Rua de Santo Ildefonso em Gondarém, assim como o Cais, o Passeio Ribeirinho e a Casa do Passadiço em Midões.

Continuamos pela Estrada Nacional 222 (N222) rumando até ao primeiro miradouro deste roteiro, ou seja o Miradouro de Catapeixe. Do varandim desfruta-se de deslumbrantes vistas sobre os rios Douro e Paiva e sobre a apaixonante Ilha do Amores. Esta idílica ilha deserta fica situada mesmo no ponto em que o rio Paiva abraça o Douro e conta a lenda que foi palco de um amor proibido entre um jovem lavrador e uma fidalga cuja mão foi prometida a um nobre. Levado pelos ciúmes, o lavrador matou o seu concorrente e após atirar o corpo ao Douro escondeu-se na dita ilha com o intuito de lá viver com a sua amada. Contudo, quis o famigerado destino que, quando ambos se dirigiam de barco para o seu ninho de amor, se tenha levantado uma enorme tormenta, terminando com o Douro a engolir a barca do apaixonado casal.

Daqui prosseguimos até Castelo de Paiva para visitar a histórica estrutura românica do Marmoiral de Sobrado, a Igreja de Nossa Senhora de Assunção, a Antiga Cadeia e o belo Jardim do Largo do Conde de Castelo de Paiva. Almoço no Restaurante Dona Amélia em Castelo de Paiva.

Após almoço, continuação pela Estrada Nacional 222 (N222) para visitar a bela Cascata do Ribeiro do Sampaio, uma das cascatas mais bonitas de Portugal. Está inserida no paradisíaco Parque de Lazer do Ribeiro de Sampaio, já no concelho de Cinfães. Para além da queda de água, encontra-se ainda um apaixonante percurso ao longo do Ribeiro de Sampaio que o irá brindar com belas paisagens e onde poderá ver vários moinhos de água antigos.

Chegados a Cinfães, visita da Igreja Matriz de Cinfães, a imponente Igreja Barroca São João Baptista, o Pelourinho e o interessante Museu Serpa Pinto que outrora serviu de Posto da Guarda e Cadeia, foi reorganizado num espaço de promoção e partilha da vida de Serpa Pinto, com interpretação e exposição da história e do modo de vida, astuto e corajoso, do Homem que veio a atravessar o continente Africano. Acolhe de forma permanente duas coleções locais: a investigação arqueológica do Concelho de Cinfães, e a história e vida do General Alexandre Serpa Pinto.

De Cinfães e continuando pela Estrada Nacional 222, nada como ir até ao Miradouro de Teixeirô. Sobranceiro ao rio Douro, na foz do rio Bestança, este miradouro oferece vistas privilegiadas sobre o Porto Antigo, sobre a Aldeia de Portugal de Porto Manso, a ponte de Mosteirô e a albufeira da Barragem de Carrapatelo. Ao longe é ainda possível avistar o imponente Mosteiro de Santo André de Ancede, um dos ex-libris da Rota do Românico do concelho de Baião.

Do Miradouro de Teixeirô descemos até ao histórico Porto Antigo, outrora importante ponto de paragem dos barcos rabelos que transportavam o vinho do Porto da região do Douro Vinhateiro até ao Cais de Gaia. Atualmente já não se encontram por lá barcos rabelos, mas, no seu bonito cais, podem-se apreciar um sem número de embarcações, entre elas os famosos barcos de cruzeiro que diariamente navegam pelas águas do Douro. Do cais de Porto Antigo terá ainda a oportunidade de observar, de perto, a foz do rio Bestança. Chegados ao Hotel Porto Antigo 4****. 

Check in e distribuição dos quartos. Jantar e alojamento no Hotel.

3º Dia - Porto Antigo / Porto Manso / Samodães / Miradouro São Leonardo de Galafura / Peso da Régua

Após o pequeno almoço, atravessamos o rio Douro, para ir conhecer a aldeia de Porto Manso uma das Aldeias de Portugal mais icónicas do Douro. Esta bonita aldeia duriense do concelho de Baião ficou imortalizada no livro “Porto Manso”, do escritor português Alves Redol que a descreveu como um lindo presépio sobranceiro ao Douro. Na aldeia e arredores, há diversos locais de interesse a visitar, como sejam a antiga calçada romana que ligava Bracara Augusta (Braga) e Emérita Augusta (Mérida), o antigo Castro de Porto Manso, a Igreja Matriz de Santo António de Ribadouro, o Cais da Pala (oferece as condições perfeitas para a prática de desportos náuticos) e o Mosteiro de Santo André de Ancede.

Porto Manso e arredores visitados, regressamos à Estrada Nacional 222 e seguimos até à aldeia de Samodães, no concelho de Lamego. Pelo caminho passamos por Resende, famosa pelas suas cerejas.

Almoço no Restaurante Solar do Douro em Resende.

Uma vez em Samodães visita da sua altaneira igreja. Não só o templo é digno de visita, como, do adro se tem uma vista soberba sobre o Vale do Douro, com Peso da Régua a marcar o horizonte.

Continuação pela Estrada Nacional 222 (N222) até ao Miradouro São Leonardo de Galafura.

Situado a 640 metros de altura, nas imediações da aldeia de Covelinhas, este miradouro vai brindá-lo com uma das vistas panorâmicas mais esmagadoras de todo o Douro Vinhateiro. Observar o rio Douro a serpentear os montes tatuados de socalcos, de um lado, e a imponente Serra do Marão, do outro, é simplesmente apaixonante!

Uma vez de regresso a Peso da Régua, passeio pelo cais fluvial de Peso da Régua e pela sua Ecopista Ribeirinha, com uma visita ao incontornável Museu do Douro, à sua icónica estação ferroviária e à Igreja Matriz de São Faustino. 

Check in no Hotel Régua Douro 4**** e distribuição de quartos. Jantar e alojamento no Hotel.

4º Dia - Peso da Régua / Eclusa de Peso da Régua / Pinhão / Miradouro de Casal de Loivos / Provesende / Pinhão

Pequeno almoço no Hotel. Hoje é o dia em que se irá percorrer o troço mais famoso da Estrada Nacional 222, o tal que lhe valeu o troféu da estrada mais bonita do mundo. Para que possa desfrutar com tranquilidade das paisagens e do prazer da condução, este será o dia da sua roadtrip em que irá percorrer menos quilómetros. Assim pode parar amiúde para tirar fotografias (acredite que vai querer fazê-lo), terá tempo para fazer uma visita a uma Quinta do Douro para uma incontornável prova de Vinho do Porto.

Posto isto, a primeira paragem do dia será na Barragem/Eclusa de Peso da Régua. Esta barragem tem um desnível de mais de 25 metros, e pela sua eclusa passam os famosos cruzeiros do Douro que navegam entre Peso da Régua e Pinhão. 

Continuação da viagem em direção ao Pinhão, bem no coração do Douro. Pinhão tem uma localização muito difícil de igualar, aninhada entre o rio Douro e o rio Pinhão e as íngremes encostas durienses, cravadas de socalcos e pinceladas por quintas.

Os principais locais de interesse da vila de Pinhão são a marginal ribeirinha onde fica o cais de embarque, a emblemática ponte sobre o Douro e a sua Estação Ferroviária, mundialmente conhecida pelos azulejos representativos de todo o ciclo de produção do vinho do Porto.

Almoço na Quinta de La Rosa (Cozinha da Clara).

Continuação até Miradouro de Casal de Loivos, para desfrutar de uma das mais belas paisagens do Douro. Para além da vista panorâmica sobre Pinhão e o Vale do Douro, é aqui que poderá observar a famosa curva em “L” que o Douro descreve junto à vila de Pinhão.

Do Miradouro de Casal de Loivos rumamos até à Aldeia Vinhateira de Provesende que, por estar localizada no topo de um planalto, oferece vistas ímpares sobre o Douro Vinhateiro. A caminho da aldeia iremos encontrar vários miradouros onde é possível parar e desfrutar de excelentes vistas sobre o vale do rio Pinhão. Vistas à parte, visita do bem preservado centro histórico, repleto de solares e casas nobres brasonadas. Entre os principais locais de interesse destacamos o seu belo Pelourinho, a Igreja Matriz, o centenário fontanário de granito e as ruínas do Castro Lusitano.

Para terminar o dia da sua roadtrip pela Estrada Nacional 222 em beleza, nada como ir fazer uma prova de vinhos à Quinta do Seixo uma das afamadas quintas da região de Pinhão (as vistas da quinta são soberbas).

Continuação para o Vintage House Hotel 5****. Check in e distribuição de quartos.

Jantar e alojamento no Hotel.

5º Dia - Pinhão / São João da Pesqueira / Santuário e Miradouro de São Salvador do Mundo / Ruínas do Prazo / Vila Nova de Foz Côa / Longroiva

Pequeno almoço no Hotel.

E eis que chegamos à derradeira etapa do nosso roteiro pela Estrada Nacional 222. Começamos o dia com uma visita à vila de São João da Pesqueira, sede de município do concelho mais antigo de Portugal (com foral do ano 1055).

Entre os muitos pontos de interesse da vila destacamos o Convento de São Francisco, onde se acredita que o Marquês de Pombal frequentou aulas conventuais, a Igreja Matriz, a Capela da Misericórdia, o Arco e a respetiva Torre do Relógio, a Arcada (antigo mercado) e o antigo edifício dos Paços do Concelho e Cadeia que hoje alberga o Museu Eduardo Tavares.

De São João da Pesqueira rume até ao vizinho Santuário e Miradouro de São Salvador do Mundo, o maior santuário do Alto Douro Vinhateiro. É certo que por esta altura já tem no currículo um vasto número de deslumbrantes paisagens do Douro Vinhateiro. Ainda assim, vai ficar embasbacado com as magníficas paisagens panorâmicas sobre a Barragem da Valeira e as escarpadas encostas do Douro, forradas de videiras.

A próxima paragem do nosso roteiro pela Estrada Nacional 222 será nas misteriosas Ruínas do Prazo, exageradamente e vulgarmente conhecidas pelo cognome de Machu Picchu de Portugal. Pelo caminho irá certamente reparar nas mudanças da paisagem, com as vinhas a cederem progressivamente lugar às amendoeiras. A Estação Arqueológica do Prazo guarda alguns dos vestígios arqueológicos mais bem preservados de Portugal e, a somar a isso, a envolvente natural na qual estão inseridas é simplesmente maravilhosa. Dificilmente se poderia pedir um enquadramento melhor! A grande estrela das Ruínas do Prazo é, sem dúvida alguma, os remanescentes de uma Villa Romana, cuja fundação remonta ao século I. 

Mas na estação arqueológica vai encontrar também uma vasta variedade de vestígios de muitas outras civilizações, desde os períodos Paleolítico, Mesolítico e Neolítico aos tempos medievais.

Continuação por Vila Nova de Foz Côa, a capital das pinturas rupestres, com almoço no restaurante do Museu e visita do Museu do Côa, cujas famosas gravuras rupestres de Foz Côa são Património da UNESCO, e donde poderá desfrutar da derradeira e esmagadora paisagem sobre o rio Douro.

Para fechar a sua roadtrip pela Estrada Nacional 222 com chave de ouro, nada como rumar até à pequena localidade de Almendra, onde se encontra o último marco da EN222 e a simbólica placa, colocada pelo Moto Clube do Côa, que assinala o final da Estrada Nacional 222.

Continuação para Longroiva, e chegada ao Longroiva Rural & Termal Spa 4****. Jantar e alojamento no Hotel.

6º Dia - Longroiva / Trancoso / Penalva do Castelo / Lisboa

Após o pequeno almoço, check out e saída rumo a Trancoso. Trancoso é um dos poucos municípios de Portugal territorialmente descontínuos, estando uma das suas freguesias (Guilheiro) separada do resto do município por uma estreita faixa de território pertencente à freguesia de Arnas, do município de Sernancelhe; uma vez que este último município pertence ao distrito de Viseu, isto torna territorialmente descontínuo o distrito da Guarda (existência de um exclave), criando um enclave no interior do distrito de Viseu, casos únicos em Portugal.

A origem do nome “Trancoso” motiva hoje em dia a especulação e a imaginação. Existem pelo menos duas explicações, ambas de pendor mitológico. Tais explicações, contudo, poderão não ser tão fantasiosas como à partida seríamos levados a pensar. Uma destas explicações refere que o nome deriva de “troncoso”, ou seja, o nome ficaria a dever-se ao facto de existirem árvores de grande porte na região em que a cidade foi fundada.

Outra explicação, que específica concretamente um ato de fundação, um pouco à semelhança de Roma refere que a cidade terá sido fundada por um emissário vindo do Egito ou da Etiópia. O nome do emissário seria Awseya Tarakos, que mais tarde viria a ser rei da Etiópia, da dinastia salomónica. 

Dos seus monumentos destacam-se a Igreja da Misericórdia, a Casa dos Arcos, do século XVI, a Casa do Gato Preto (um curioso edifício do antigo bairro judaico), e o Pelourinho, bela peça do mais puro estilo manuelino.

Nesta cidade nasceu também Gonçalo Annes Bandarra ou ainda, Gonçalo Anes, o Bandarra (Trancoso, 1500 — Trancoso, 1556) que foi um sapateiro e profeta português, autor de Trovas messiânicas que ficaram posteriormente ligadas ao sebastianismo e ao milenarismo português.

Mandado erigir em 1641, o seu túmulo encontra-se na Igreja de São Pedro de Trancoso.

As Trovas do Bandarra influenciaram o pensamento sebastianista e messiânico de D. João de Castro, Padre António Vieira, de Fernando Pessoa, entre outros.

Continuação para Penalva do Castelo e almoço na Casa da Insua.

Após o almoço, regresso a Lisboa onde após uma paragem técnica, chegaremos ao final do dia.