O Pequeno “Tibete” Português

  • Destino:
  • Duração: 3 dias
  • De: 06/05/2022
  • a: 08/05/2022
  • Preço: 415€

Preço por Pessoa Quarto Duplo

(mínimo de 20 participantes)

€415

Suplemento Quarto Individual

€65

 

Programa inclui:

  • Acompanhamento durante toda a viagem por um guia oficial;
  • Autocarro de turismo, de 51 lugares, com ar condicionado, para todo o percurso;
  • 02 noites de alojamento com pequeno-almoço e jantar com bebidas incluídas no Luna Arcos Hotel 4*;
  • 03 almoços com bebidas incluídas;
  • Seguro de viagem Trvel Bus Classic;
  • Auriculares para todas as visitas;
  • Taxas hoteleiras e de serviço, bem como IVA;
  • Bolsa de documentação contendo informação sobre os locais a visitar.

 

Programa não inclui:

  • Quaisquer serviços que não se encontrem devidamente mencionados no presente itinerário e extras de carácter pessoal (ex. bagageiros, gratificações, telefonemas, bar, minibar, lavandaria, etc.)

 

INFORMAÇÕES | RESERVAS
CS – Telf. 215 927 076 | info@nulltryvel.pt

1º Dia - Lisboa / Braga / Arcos de Valdevez

Concentração em Sete Rios (em frente ao portão principal do Jardim Zoológico). Saída em direção a Braga, com paragem técnica pelo caminho. Almoço no Restaurante “Migaitas-Forum”. Continuação em direção a Arcos de Valdevez, pode ser considerado uma pequena caixa de sedução, encravado no Vale do Vez, Arcos conserva todo o encanto característico do ALTO MINHO: paisagem verde, frescura abundante, arquitetura solarenga e um rio que espalha a vaidade de toda uma vila carregada de História. Chegada ao LUNA ARCOS HOTEL 4*. Jantar e alojamento.

2º Dia - Arcos de Valdevez / Sistelo / Soajo / Arcos de Valdevez

Após o pequeno almoço, saída em direção à Aldeia do Sistelo, uma das aldeias vencedoras das 7 Maravilhas de Portugal. Aqui poderemos apreciar os arrebatadores socalcos, que lhe deram o epíteto de Pequeno Tibete Português, e percorrer a pé os Passadiços do Sistelo, que passaram de  segredo mais bem guardado do Gerês para o destino mais procurado em menos dum ano; os socalcos, que sempre ali estiveram desde o século XVI, foram declarados Monumento Nacional em 2017 pelo Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa. É a primeira vez que tal classificação é dada a uma aldeia no seu todo, património cultural e natural, que até ao momento era só atribuída ao património edificado. Mas pelas características tão particulares desta aldeia e da paisagem natural envolvente, não nos espanta que haja consciência da necessidade de salvaguarda. Após o almoço, continuamos para um cenário natural único e deslumbrante, a Aldeia do Soajo, tem património, beleza paisagística e tradições que vai querer descobrir. Uma aldeia-escola, uma lição das nossas raízes mais populares. São os 24 espigueiros a razão por que cada vez mais pessoas querem visitar o Soajo. As eiras comunitárias no Minho são um traço cultural da vivência comunal local. No Soajo, o Eido do Penedo (fica na Estrada dos Espigueiros, a M530) acolhe estas construções de pedra granítica, o mais antigo datando de 1782, os restantes feitos ao longo dos séculos XVIII e XIX. Sempre coroadas com uma cruz no alto, como pedidos de proteção divina, sinal evidente da sacralização destes armazéns cruciais para a vida. Descemos à aldeia, à paz duma terra que conseguiu a proeza de parar o tempo, às ruas pavimentadas de lajes graníticas, às casas de maciços blocos de granito, a igreja matriz, o pelourinho, algumas das casas “nobres”, o edifício da junta e o “café central” estão todos à volta do Largo do Eiró – mas o que tem de igual, tem também de único. Regresso a Arcos de Valdevez ao final do dia. Jantar e alojamento no hotel. 

3º Dia - Arcos de Valdevez / Lisboa

Após o pequeno almoço saída em direção a Ponte de Lima, o ex-libris, que conjuntamente com o rio que banha a vila, deu nome à localidade e à sua ponte. Na realidade, é um conjunto formado por duas pontes: um troço medieval de maior dimensão, que tem início na margem esquerda e se estende até à Igreja de santo António da Torre Velha. Depois o troço que resta da ponte romana, São apenas cinco arcos a partir do grande arco que está em leito seco. Se descer verá também os alicerces da Torre Velha, talvez a primeira do sistema defensivo medieval.  Aqui. nasceu o Beato Francisco Pacheco (O Santo), Mensageiro da Companhia de Jesus e um dos principais Jesuítas do Japão. Almoço em restaurante e partida em direção a Lisboa com paragens técnicas pelo caminho.